Escondida

  Por vezes chegamos a um ponto em que percebemos o quanto a vida nos muda.

 

 

  Até há uns dois meses, sentia que a ida para a faculdade tinha sido excelente, muitíssimo boa para mim. Sentia que era mais eu, mais liberta e feliz, mais alegre, com uma facilidade renovada em dar-me com os outros e dar-me a eles. Depois, tudo mudou.

 

 

 

 

  Hoje sinto que pouco resta dessa pessoa - talvez alguns sorrisos, algumas gargalhadas - mas muito pouco. Passei uma semana que aquilo que mais senti foi uma enorme dificuldade em manter-me minimamente alegre, em ver as coisas pelo lado positivo. Uma semana onde foram poucas, muito poucas, as pessoas que me fizeram sentir a mesma de há uns meses atrás. Onde está essa Rita? Que foi feito dela? É dos exames, ou algo mais? Voltará?

  Cá para mim ela fechou-se num canto e se ninguém a procurar vai demorar a sair.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

   Tenho tanto medo, principalmente de não me conseguir reconhecer daqui a uns tempos.

                                  do início do próximo ano, que como as coisas serão. Será que alguma vez voltarei a sentir-me tão bem como dantes?

 

   E apesar de no fundo não ser verdade, não consigo deixar de me sentir sozinha, de sentir que andam todos um pouco fartos de me aturar, esta Rita não tão alegre, sem tanta graça, sempre a tentar desabafar um pouco porque simplesmente sente que não aguenta guardar tudo para si.

publicado por Rita Matias às 01:48 | link do post