RAPAZES vs RAPARIGAS - Parte IV

  Mas afinal o que é o AMOR???

  É difícil explicar o que é o amor, pois cada um deve descobrir por si próprio o que esta palavrinha com apenas 4 letras significa. Mas uma coisa é clara o amor é um sentimento! Mas é um sentimento bastante contraditório. Ora traz alegria, ora traz tristeza, ora une as pessoas, ora as separa...

  Com o evoluir da sociedade humana, o amor tem vindo a tornar-se cada vez mais importante e necessário, mas também cada vez mais escasso. Com a união se faz a força, e o amor tem a capacidade de unir as pessoas. Mas ao olhar-mos por outra prespectiva os bombistas agem por amor, até eles têm a capacidade de amar mesmo que não o seja da maneira mais correcta. Eles amam o su Deus e por ele morrem...

  Também podemos verificar que existem vários "tipos" de amor. Temos o chamado amor verdadeiro, associado à união conjugal entre duas pessoas; a amizade, que também junta as pessoas msa de um modo diferente; e também temos queles "amores" pelas pequenas grandes coisas da vida, desde uma roupa, religião ou país a uma simples paisagem, que naquele preciso momento concerna em si todo o esplendor da Natureza. Amamos porque queremos ser felizes e porque ao desfrutarmos desse amor sentimo-nos melhor que nunca, leves, felizes, simples...

  Normalmente ligamos a palavra amor à relação afectuosa entre duas pessoas. Na regular constituição de um casal (homem e mulher / rapaz e rapariga), podemos também associar o sexo, por vezes chamado de fazer amor. Aqui o amor assume o seu papel mais exurberante e controverso. Tanto liga essas duas pessoas, como pode separá-las se o amor não é mútuo. Faz com que elas se sintam as melhores pessoas do mundo, mas também por vezes as piores.

  Resumindo, não há explicação para o amor.

 

  O Amor não se explica, sente-se...

sinto-me: só com corações na mente...
publicado por Rita Matias às 22:46 | link do post