Uma hora, meu caro. Não me dás mais um bocadinho, Sr. Tempo?

  Esta foi talvez a pior semana que tive até agora por terras de Lisboa. As saudades já estão a começar a bater fundo, mesmo. E nem mesmo a perspectiva da minha vinda antecipada me alegrava. Nem me quero lembrar de segunda, foi daqueles dias que só queria mesmo voltar para casa, em que não sabia minimamente o porquê de ter ido ali parar e não queria continuar, mesmo.

  Mas eu sei que isto é apenas o começo. E isso, assusta-me.

 

  Tenho saudades das minhas miúdas, dos nossos risos, das nossas gargalhadas, das conversas, dos abraços, das lágrima. Tenho saudades e pronto. E pior que tudo, é possível ter saudades de algo que nunca se teve, ou melhor, pseudo-saudades. Tenho saudades de horas iguais à de sexta, sim, porque uma hora conseguiu desmoronar a melancolia de uma semana. Bastou juntar um pouco de dois factores: pessoas perfeitos em lugares eternos.

 

  Amanhã lá vou eu outra vez para a cidade. Não me sinto mal, mas aquilo não é definitivamente o meu lugar. O meu coração é serrano, e serrano será.

 

  Agora o melhor é ir deitar-me, pois ainda não dormi como deve de ser este fim-de-semana. Isto de acordar as 9 num sábado é para escravos...

publicado por Rita Matias às 01:36 | link do post | comentar