Talvez seja a adolescência...

... Talvez seja natural em mim.

 

  Sinto.me constantemente incompreendida, e sobretudo que vivo num mundo à parte. Olho à minha volta e vejo que sou diferente, que tenho sobretudo uma maneira diferente de pensar das pessoas que me rodeiam. Sempre vi isso como uma coisa boa, mas é verdade é que já me trouxe muitos dissabores. E eu desejo, ah como eu desejo!, que alguém queira descobrir-me, conhecer-me. Que esteja disposto a ouvir-me falar sobre a perfeição que eu vejo no mundo que me rodeia e não me olhe como uma louca, que tente perceber como eu consigo ser feliz apenas a ouvir uma música, ou como vivo a ler.

 

  Há algum tempo dizeram-me que eu era uma coisa - verdadeira. Que digo sempre o que penso. Bem, se é isso que pensam, quem sou eu para desmintir, mas a verdade é que muitas vezes sinto-me tudo menos verdadeira. Principalmente no que toca em dar a minha opinião sobre algo. Penso sempre bem antes de dizer alguma coisa, considero todas as possibilidades, as consequências de cada afirmação que pode sair dos meus lábios, e escolho a melhor para mim e para os outros. Isso é ser verdadeira? Eu não acho... Cá para mim sou é manhosa!

  Dizem que eu armo-me em espertalhona, por vezes... Bem, eu sei que do nada dou lições a toda a gente e tenho a mania de saber algumas coisas, mas a maior parte das emendas que dou são sem intenção, espontâneas... É natural em mim essa parte...

  Chamam-me muitas vezes rabujenta, teimosa, e resmungona. Sou um pouco, eu aceito, mas também não é assim tanto, possa! Resmungo quando não me ouvem à primeira, e querem-me fazer crer que estou errada. Sobretudo porque é-me dificil ver que estou errada, mas quando o percebo admito-o facilmente. Chegar até lá è que é custoso...

 

  Sou eu, com todos o títulos e subtítulos que me quiserem por. Só gostava era de conhecer alguém que nunca me desse aquele olhar do tipo "mas qu'é isto? ela está doida ou quê?"....

publicado por Rita Matias às 22:14 | link do post | comentar