Gostei logo Postei.

Aquele pedacinho. Vou guardá-lo so para mim. Colocá-lo na minha caixinha. Pedacinho meu que nunca devia ter ido embora. Quero guardar-te, guardar-te como jóia que me foi devolvida. Não te poderei mais usar. O prazo disso já passou. Mas ainda te possuo. Por isso assim te guardo. Assim te venero. Assim te sonho. Sonho aqueles sonhos que fugiram. Aqueles sonhos mais simples e indefesos que naquela idade se tem. Sonhos que pediam abraços. Sonhos que mostravam sorriso. Sonhos que me tiraram. Sonhos que nunca mais poderei recuperar. Mas hei-de imaginá-los, tal e qual como antes de mos tirarem. Hei-de continuar com esse pedacinho em cada sonho que imagino dessa altura. Hei-de ser feliz em todos eles. Ou até triste, mas sempre dando mais imaginação a todos os abraços que me são devidos. Cada abraço que me roubaram, eu hei-de dar. Cada beijo que me tiraram, eu hei-de distribuir. Em todos os gestos que me foram afastados, eu hei-de neles colocar um bocadinho do pedacinho agora possuído e os hei-de espalhar por quem eu mais desejar. Porque eu...eu simplesmente quero dar o que me tiraram.

Ainda assim... fica aquela saudade de tudo isso que não foi vivido.

Tomorrow is a different day...

sinto-me: atarefada
publicado por Rita Matias às 20:46 | link do post