Sábado, 28.11.09

The Kooks


"Tick Of Time"

Oh honey please, don't shed no tears
As long as im here.....

Its far too early in the morning to be trying to call you
And far too early in the daytime to be thinking about that

But I, (but I), but I, (but I), but I am

What did i do in a past life, oh to deserve this
Yeah the way I make myself
He's far too innocent to be a part of such a cruel world
And it is, and it is and it is

And so I'll go, yes I'll go, so I'll take that train and ride.
Hoping I can write her a rhyme, that might stop the tick of time
Get off this situation and feel fine,
Get off this situation and feel fine.

What did i do to deserve her love,
I have to ask myself.
When i am such a bad man but only to her (only to her, only, only to her)

Oh and so I'll go, yes I'll go, so I'll take that train and ride.
Oh and so I'll go, yes I'll go, so I'll take that train and ride.
Wishing, hoping I can write her a rhyme, that might stop the tick of time
Get off this situation and feel fine,
Get off this situation and feel fine.

 

 

 

The Kooks

publicado por Rita Matias às 19:27 | link do post | comentar
Terça-feira, 24.11.09

?

  Há sentimentos que doem mais do que feridas, e pensamentos que não saram com suturas. Por isso, fecha os olhos e vive, porque de olhos abertos não sabes qual caminho seguir.

 

 

 

 

  Ás vezes penso se masoquista, ou simplesmente alguém que não tem assim tanta sorte como o resto do mundo pensa. Não bastava a dureza da vida por si só, não bastavam os problemas que uma pessoa consegue resolver, nem os que muitas pessoas não conseguem resolver, nem os que ninguém sabe resolver. Não bastava a saudade nem esta rotina que se instala, não bastavam as horas de autocarro e acordar de "madrugada". Não, pois Deus ou lá o que seja, deve gostar de pregar partidas, de complicar o caminho de modo a ninguém descobrir a saída.

  Talvez seja por isso que não há livro que descreva uma vida, pois são demasiados os pormenores, os tormentos e momentos, as dores e alegrias, que as palavras não chegam. Talvez seja por isso que eu sou uma complicada, porque penso demasiado, e me deixo viver em sonhos.

  E no meio disto tudo, eu sinceramente nem sei o que sinto.

publicado por Rita Matias às 21:15 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Sexta-feira, 13.11.09

Autocarros & companhia

Há palavras

que não podem

ser ditas

 

Porque nos querem

transformar

quando a vida

não quer mudar

 

 

  Estes dias não têm dito sabor. A distância deixou-me algo apática, e só percebi isso quando voltei. Estar em casa é mais do que uma realidade, é um estado de espírito. Talvez porque aqueles que mais amo estão aqui, em casa.

  Mas também há quem esteja longe. Uns mais, outros menos, os mais míseros quilómetros formam barreiras que não deviam de existir.

 

  Deve ter sido um português a inventar os transportes. Se a saudade é tão nossa assim, também a vontade de a colmatar o é. Esta semana tenho muito a agradecer ao espertalhão, rever as minhas meninas foi óptimo, mas incompleto.

 

  Acho que vou ter de me costumar a isto, àquele sentimento de que falta alguém, que por mais pessoas que estejam ao nosso lado, nunca estão todas as que gostaríamos. E com o passar do tempo o número de elementos aumenta, sendo cada vez mais impossível essa utópica reunião.

 

  E ficam sempre palavras por dizer...

publicado por Rita Matias às 23:12 | link do post | comentar | ver comentários (1)

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Novembro 2009

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
29
30

posts recentes

arquivos

subscrever feeds