Afectos

  Hoje venho falar de afectos , de como eles são bons, importantes e de como a sua ausência é maléfica, fria.

  Desde pequena que nunca fui uma pessoa de muitos afectos, sempre tive dificuldade em proferir aquela tão importante frase como "gosto de ti!", sempre fui demasiado tímida, talvez mesmo receosa. Não estou a falar do sexo oposto, estou a falar de afectividade em geral, família, amigos, etc. No entanto tenho ao longo dos tempo tentado modificar esse meu problema, e hoje digo que sou feliz por ter conseguido melhorar. Já não me fecho e descobri com é bom um abraço, uma dar as mãos nos momentos difíceis , um beijo na face por razão nenhuma. Descobri e aprendi o quanto é importante demonstrarmos aos outros o quanto gostamos deles.

  Os afectos podem demonstrar-se de diferentes formas. Através de um simples olhar, de um piscar de olhos cúmplice podemos alegrar alguém para o resto do dia, ou até mesmo salvar alguém que se sente sozinho no mundo. Mas por outro lado a falta de afectos endurece uma relação, torna as pessoas mais distantes, e assim quando surge uma ruptura é muito mais difícil sarar a ferida. Os afectos sobem-nos a auto-estima e curam depressões, por isso lanço um desafio, porque não tentar ser mais afectuoso?

  Eu descobri, parte também à descoberta...

sinto-me: a super a.a.!!!
publicado por Rita Matias às 18:29 | link do post | comentar | ver comentários (2)