Doce infância

  Ultimamente tenho andado de um lado para o outro a ver quartos para a minha casa nova. Até hoje quando eu fiz a Aurèlie por-se a advinhar o que eu ia fazer à tarde a primeira coisa que ela pensou foi que eu ia ver de camas! No entanto esse problema já esta resolvido e eu adorei o quarto que os meus pais compraram.

  Mas com tanto reboliço de preços na minha cabecinha veio-me à memória uma bela recordação de infância. Ingenuamente eu sempre pensei que como bons comerciantes sempre que um producto vendia muito, este baixavam o preço, pois assim mais pessoas poderiam comprar esse producto. Acho que nunca estive tão economicamente errada na minha vida. Deste modo sempre que ouvia aquelas tipicas frases dos meus pais do tipo "Está na moda por isso aumentaram logo o preço..." ou "Quanto maior é a procura maior é o preço...", eu achava estranho e sem lógica tal fenómeno, até que um dia expus este meu problema existencial ao meu pai. Fui iluminada, ele esplicou-me e embora na altura eu não tenha percebido muito bem a razão de ser assim o mercado, resignei-me e calei-me...

  Com o tempo percebi o que as sábias palavras do meu pai queriam dizer, mas continuou a achar que seria melhor para todos se o mundo fosse tão cor-de-rosa como eu pensava...

 

sinto-me: tá quase!!!
publicado por Rita Matias às 21:06 | link do post | comentar | ver comentários (4)