Sou eu e o mundo inteiro...

  Sim, sou eu e o mundo inteiro a falar das crinaças, ou pelo menos devia ser o mundo inteiro. Sem dúvida que quando elas querem são mesmo adoráveis, só da vontade de lhes apertar as boxechas, sobretudo nas idades mais tenras.

  No entanto tenho vindo a deparar-me com uma dura realidade, as crinças deiuxam de ser aquelas coisinhas adoráveis cada vez mais cedo! Passam a ser primeiro mini clones dos pais, copiando-os em tudo pois apesar de serem estes o seu exemplo mais prensente, por vezes não são o melhor. Só depois da adolescência é que nos tornamos realmente alguém, individualmente, únicamente.

  Por outro lado quero deixar aqui também um grande apelo a todos os míudos (as) e graúdos. Deixem libertar-se a crinça que há dentro de vós, sejam mais genuinos e vivam a vida mais tranquilamente, porque essa é a melhor maneira!!!

sinto-me: criancinha!!!
tags:
publicado por Rita Matias às 18:41 | link do post | comentar | ver comentários (3)