Sexta-feira

As sextas têm sempre uma "aura" diferente. Sente-se que tudo a nossa volta está mais liberto, há menos pessoas na Faculdade, as malas de viagem abundam, e ao fim do dia, os sorrisos de quem retorna a casa espalham-se. As sextas, por norma, são boas. Esta também o foi.

 

No entanto, há sempre excepções, e olhando mais de perto, para aqueles que me rodeiam, esta sexta não teve esse doce trago a fim-de-semana e casa. É o trabalho a moer-nos, a todos, sem excepção, acumulando-se aos restantes problemas da nossa vida, e por vezes, servindo mesmo de escapatória. É este semestre que tem alturas verdadeiramente alucinantes, e já parece tão pequeno, com os exames tão perto, e onde está o tempo para estudar para eles? Olhamos para trás e percebemos que ele existiu, erradamente tratado como férias numa estúpida semana que nos foi concedida por erros de calendário. O jeito que dava agora...

 

Tive a sorte de voltar cedo para casa, vinda de boleia, logo, não podia estar outra coisa que não feliz. Mas este mundo é tramado, aliás, este país, pois as greves voltaram e quem sofre é o povo. Desta vez fui uma felizarda :D

 

As sextas são especiais, são boas em geral, são sinónimo de mais uns minutos na cama, de umas horas à conversa na net, de uma maior disponibilidade para os outros. Mas a vida não pára, muito menos às sextas...

publicado por Rita Matias às 11:34 | link do post | comentar