palavras loucas, horas mortas

Nem sei bem por onde começar. Aliás, porque temos de começar por algum lado?

 

Não, não vou por um sentido a este texto e muito menos um começo. Porque hoje apenas escrevo por escrever, porque apenas preciso de palavras, porque apenas aqui encontro o lugar onde posso escrever aquilo que não digo.

 

Porque eu eu gosto de ti, gosto tanto que só quero estar contigo, porque sinto a tua falta. Porque acho que devia de parar, porque só sei sofrer. Porque quando a tua influência sobre mim é menor, é quando eu estou melhor, porque de cada vez que te vejo, o momento é bom demais, e depois vem o pensamento, e a dor, porque o problema é meu e eu penso demais, porque sim, porque eu só sei que tu tens a capacidade de transformar os meus dias, porque quero que saibas isto tudo, mas não tenho a coragem. Não é que tenha medo de perder alguma coisa, porque verdade seja dita, não há grande coisa entre nós, apenas uma vontade imensa minha, porque eu acho que vivo numa ilusão e esta é a melhor forma de a exorcizar.

 

Porque há músicas que me chamam mas não te tocam, porque só vejo incompatibilidades e improbabilidades, porque eu não me sinto bem com aquilo que sou, porque se eu não me amo, como te posso amar como mereces? Porque é tudo o tem de que ser...

música: Espaço Impossível - Tiago Bettencour & Mantha
publicado por Rita Matias às 03:27 | link do post | comentar