Autocarros & companhia

Há palavras

que não podem

ser ditas

 

Porque nos querem

transformar

quando a vida

não quer mudar

 

 

  Estes dias não têm dito sabor. A distância deixou-me algo apática, e só percebi isso quando voltei. Estar em casa é mais do que uma realidade, é um estado de espírito. Talvez porque aqueles que mais amo estão aqui, em casa.

  Mas também há quem esteja longe. Uns mais, outros menos, os mais míseros quilómetros formam barreiras que não deviam de existir.

 

  Deve ter sido um português a inventar os transportes. Se a saudade é tão nossa assim, também a vontade de a colmatar o é. Esta semana tenho muito a agradecer ao espertalhão, rever as minhas meninas foi óptimo, mas incompleto.

 

  Acho que vou ter de me costumar a isto, àquele sentimento de que falta alguém, que por mais pessoas que estejam ao nosso lado, nunca estão todas as que gostaríamos. E com o passar do tempo o número de elementos aumenta, sendo cada vez mais impossível essa utópica reunião.

 

  E ficam sempre palavras por dizer...

publicado por Rita Matias às 23:12 | link do post | comentar