parar é morrer, mas viver é sofrer

  É de alguma humanidade que sinto falta.

 

 

  Onde está o tu sorriso? Já não o vejo há tanto tempo que começa a doer cá dentro. Onde está aquele riso contagiante que me fazia chorar de tanto rir? Serás tu que já não consegues ou eu que não vejo? Ou então será que a vida simplemente está a ser madrasta connosco? Tenho saudades dos tempos em que aninhava-me nos teus braços e me sentia totalmente protegida, tal qual como quando era bébe.

  O mundo é cruel e eu não quero fazer parte dele. Quero continuar a ser criança e não perceber a realidade que me rodeia.

  Se já mal tens optimismo, como posso eu ter?

 

  Tenho medo, tanto medo. Mas os abraços já não me conseguem proteger.

 

 

 

  Como tu disses "não podemos é parar, parar é morrer", mas não será esta luta a nossa morte?

publicado por Rita Matias às 23:25 | link do post | comentar