4estações

  A ausência perdurou mesmo apos o regresso da internet. A razão: não me apetecia escrever!

  Mas hoje já não, ao longo do dia senti-me invulgarmente serena, como já não me sentia desd o ínicio do ano, será talvez devido a isso a subita vontade de escrever.

  Acho que o tempo também ajudou na matéria, espero que seja desta que a Primavera me venha visitar, com uma bem longa estadia.

  Com este resplandescente céu azul, com o qual sou brindada quer de Inverno quer de Verão, cheirou-me a Sol, soube-me a liberdade. O dia passou mais alegre e sobretudo mais suavemente, como um doce ameno dia de Julho.

  Olhei a minha volta e vi aquilo de que é feita a vida, de pessoas, de momentos e de lugares. Todos se conjugam para propocionar alegria, todos juntos são o veneno, que tomamos devagar, para terminar a vida com a fatalidade da felecidade.

 

  Adoro os tons ciprestes da Primavera, o vento vivificante de Verão, a nostalgia do Outona, o céu azul do meu Inverno.

publicado por Rita Matias às 20:14 | link do post | comentar